ASSUNTOS ACADÊMICOS

3 de 3... Vitória!

Astrofurg-UNAM - 2019

É com grande prazer que o grupo Astrofurg compartilha as boas novas com vocês:

1. A nossa querida estudante Laura Neves do Amaral passou, neste mês de junho, no exame de Qualificação para Doutorado no Instituto de Ciências Nucleares da UNAM (ICN). Laura está trabalhando na área de habitabilidade planetária sob a orientação da Dra. Antigona Segura do ICN-UNAM e co-orientada pelo Dr. Rory Barnes, do Astronomy Department, University of Washington. Parabéns Laura, você tem um futuro brilhante pela frente!

2. Da mesma forma, o aluno Augusto César Calígula também passou seu exame de Qualificação de Doutorado no Instituto de Astronomia da UNAM (IA-UNAM) no mês de junho. Calígula está trabalhando na nova área de pesquisa das kilonovas, sendo orientado pelo Dr. Nissim Fraija do IA-UNAM e colabora com vários pesquisadores estrangeiros, incluindo ao Dr. P. Veres, do Center for Space Plasma and Aeronomic Research (CSPAR), University of Alabama in Huntsville. O trabalho contínuo e responsável sempre dá seus frutos... Parabéns Calígula, vai com todo!

3. Finalmente, neste mesmo mês, o aluno Felipe Ventura Vargas, passou seu exame/entrevista para admissão no Doutorado no ICN-UNAM. Felipe está sendo orientado por mim e co-orientado pelo Dr. Fabio de Colle do ICN em seu mestrado. Agora, Felipe trabalhará sob a orientação do Dr. Fabio de Colle na área das supernovas, e colaborará com pesquisadores estrangeiros como o Dr. Enrico Ramirez-Ruiz, professor and chair of astronomy and astrophysics at UC Santa Cruz, e a Dra. Raffaella Margutti do Center for Interdisciplinary Exploration and Research in Astrophysics (CIERA), Department of Physics and Astronomy, Northwestern University. Você trabalhou muito bem Felipe… Você merece!

Vale ressaltar que os três alunos foram premiados com bolsas integrais para seus estudos de doutorado: 3 de 3... Vitória para Astrofurg e para o IMEF!

Podem ver as pesquisas destes estudantes na nossa sessão "POSTS PESQUISA" do site...

Você quer ser um astrônomo?

Leia isto antes de começar... alerta de spoilers.

"Locais de trabalho exóticos, descobertas surpreendentes e fama (mas provavelmente não fortuna) aguardam aqueles que perseveram no caminho que leva a uma carreira como astrônomo profissional."

SENDO UM ASTRÔNOMO - Há alguns anos, o astrofísico Duncan Forbes escreveu um artigo sobre os problemas e as oportunidades que os astrofísicos enfrentam. Hoje, essas conclusões ainda são válidas e vamos citar algumas delas. De muitas maneiras, os astrônomos profissionais são muito afortunados. Eles têm a oportunidade de continuar sua paixão (que muitas pessoas compartilham) e são pagos para fazê-lo. Algumas das razões dadas pelos estudantes de doutorado para se tornarem astrônomos incluem: é divertido e emocionante, há ótimas oportunidades para viajar, é um trabalho legal e é possível fazer descobertas significativas. Universidades, observatórios, organizações governamentais e indústrias empregam astrônomos que, ao contrário da crença popular, não passam todas as horas de vigília em um telescópio. Em vez disso, a maior parte do tempo é gasto com ensino, gerenciamento de projetos, prestação de serviços de suporte e tarefas administrativas. Um astrônomo típico pode passar apenas uma semana ou duas por ano em uma corrida de observação (ou alguns meses fazendo simulações numéricas detalhadas), seguido por meses de análise de dados e redação de artigos. Se você está indo atrás de uma carreira em astronomia, esteja avisado: é extremamente competitivo! Há muitas pessoas muito inteligentes e trabalhadoras que procuram um número limitado de cargos. Sob o título de “astronomia”, existem muitos campos (e sub-campos) de pesquisa, e se você escolher um com poucos pesquisadores, as conferências a que assistirá terão a sensação de uma reunião de família. Então, como você se junta a galera de elite da astronomia profissional? Aqui estão algumas sugestões de como conseguir um emprego em astronomia. Dois requisitos necessários para começar são: ter um curso de física ou ciências afins e talvez um mestrado em astronomia.

Dois astrônomos e divulgadores famosos: Carl Sagan e Neil deGreese Tayson

PRIMEIRO, PEGUE UM TÍTULO DE DOUTORADO! - Todos os astrônomos profissionais têm um doutorado em astronomia ou um campo relacionado. Atributos de um bom aluno de doutoramento incluem uma paixão pela pesquisa, um alto nível de motivação, que seja bem organizado e ter boas habilidades verbais e escritas. Como estudante, você provavelmente trabalhará mais de 50 horas por semana (pense nisso!), por isso é importante trabalhar com eficiência. O velho mantra “trabalhe de maneira mais inteligente, não mais difícil” é muito relevante aqui, especialmente porque os dados da pesquisa continuam a crescer a uma taxa exponencial. Escolha o seu supervisor de doutorado com cuidado. Eles serão seu guia e mentor nos próximos anos. Alguns supervisores podem ser bastante exigentes, o que provavelmente deriva de dois fatores - sua reputação de pesquisa também está em jogo e eles querem prepará-lo para o "mundo real" da pesquisa independente. Há também aquele supervisor que é chato só porque gosta... cuidado! Enquanto estiver trabalhando em seu doutorado, você deve escrever artigos (e publicá-los!). Também é uma boa ideia descobrir o "quadro geral" além de seu sub-campo restrito, sugiro gastar cerca de 10% de sua semana participando de seminários e conversando com colegas de fora de seu campo sobre o trabalho deles. Networking também é importante para a sua carreira, então aperfeiçoe suas habilidades durante seu tempo como candidato a doutorado. Dê palestras de pesquisa. Ser capaz de apresentar sua pesquisa pode ser crucial para suas perspectivas de carreira, então, tenha bastante prática.

TORNANDO-SE UM PÓS-DOC! - Em algum momento no final do seu trabalho de doutorado, será hora de se candidatar a uma posição de pesquisa de pós-doutorado. Os pós-docs podem ser divididos em posições "nomeadas" e "não-nomeadas". As posições nomeadas (NASA, ESA, etc.) geralmente oferecem liberdade para explorar sua própria direção de pesquisa, um orçamento de pesquisa (razoavelmente) generoso e um salário decente. Como tal, eles são prestigiados e altamente competitivos. Posições não-nomeadas são tipicamente com astrônomos individuais ou departamentos universitários que geraram fundos para a posição através de uma bolsa de pesquisa, e o tópico de pesquisa é provavelmente pré-determinado. Em ambos os casos, você pode ser convidado a participar de uma grande equipe. Ser um membro de um grande grupo de pesquisa pode permitir que você resolva as principais questões científicas e trabalhe com pessoas importantes em seu campo. No entanto, também pode dificultar que pessoas de fora da equipe avaliem sua contribuição para o projeto.

A boa notícia!: Embora a maioria dos países produza em excesso os doutorados em astronomia em relação ao seu mercado de trabalho, o número de cargos de pós-doutorado em todo o mundo corresponde aproximadamente à demanda por cargos. Então, de um modo geral, existe uma posição de pós-doutorado em astronomia para você, se você quiser. Os pós-docs são o período-chave em que você mostra o que é feito em termos de qualidade e quantidade de suas publicações. Uma carreira típica de pesquisa envolve de dois a três pós-docs, com duração de dois a três anos. O próximo passo é um concurso para um trabalho de professor.

Agora a má notícia!: É difícil conseguir um emprego permanente em astronomia. Não é inédito para uma universidade top receber mais de 100 solicitações para uma única posição. Também é importante ter em mente que a popularidade dos subcampos na astronomia e, consequentemente, o número de trabalhos relacionados que estão disponíveis, mudam com o tempo.

MOVENDO-SE PARA CIMA - Se você quiser subir na hierarquia de trabalho, precisará evoluir de um aluno de doutorado (semelhante a um aprendiz) para um líder ou gerente de pesquisa. Você se encontrará fazendo contribuições menores para mais artigos. Você terá uma compreensão melhor do quadro geral, mas provavelmente às custas dos detalhes técnicos. Escolher bem seus colaboradores é um aspecto importante do sucesso da pesquisa em andamento. Você terá cada vez mais tarefas múltiplas, ensino, serviço comunitário, administração, gerenciamento, pessoal e finanças, juntamente com sua pesquisa e a de seus alunos. Seu primeiro passo nessa evolução é deixar o mundo do pós-doutorado e adquirir essa posição permanente.

PUBLICAÇÕES: QUANTIDADE E QUALIDADE - Uma vez adquirida a cobiçada posição permanente, sua vida girará em torno do ensino, da pesquisa e da publicação de sua pesquisa. Por que nós publicamos? Como cientistas, precisamos comunicar os resultados de nossa pesquisa, um artigo publicado é nosso "produto" e (goste ou não) esses documentos são uma medida de nossa produtividade. Não publicar seus resultados resultará em uma carreira astronômica notavelmente curta.

RESUMINDO - Os três passos relevantes para o sucesso no trabalho em astronomia são: 1) Pesquise. 2) Publique. 3) Fale sobre isso. Repita os passos de 1 a 3 várias vezes por ano e uma longa carreira em astronomia profissional espera por você. No processo, se você descobrir algo significativo e se tornar famoso, melhor ainda. Não se esqueça de fazer contatos, tenha sempre em mente o cenário geral e divirta-se.

Agora, Se depois de ler o acima você ainda quer ser um astrônomo profissional, o seguinte anúncio é para você:

PROCURA-SE: ASTRÔNOMO. Deve estar disposto a trabalhar noites ocasionais no topo de uma montanha em um local exótico. Ou estar disposto a noites sem dormir fazendo contas infernais ou escrevendo códigos para simulações numéricas sofisticadas. Um senso de aventura e estilo de vida nômade é uma vantagem. Horários flexíveis e código de vestimenta casual compensam perspectivas de carreira incerta a longo prazo e remuneração média. A oportunidade para uma verdadeira descoberta científica aguarda o candidato certo. Aplique agora!

INTERNACIONALIZANDO ESTUDANTES

UNAM - 2019

Como parte do processo de internacionalização da FURG, Nosso grupo está trabalhando incansavelmente para conseguir parcerías de pesquisa com várias universidades estrangeiras. Em particular, com vários Institutos da Universidade Nacional Autónoma do México - UNAM. A este respeito, várias colaborações de pesquisa foram alcançadas e três alunos de mestrado da PPG-Fisica que fazem parte do grupo Astrofurg obtiveram estagios de pesquisa na UNAM. De fato, foi possivel que dois desses alunos (e proximamente, o terceiro) conseguiram ingressar no programa de Doutorado em Astrofísica da UNAM, premiados com bolsas de pesquisa para seus estudos.

LAURA NEVES DO AMARAL - A primeira aluna em visitar a UNAM foi Laura Neves do Amaral. A estudante, nesse momento Mestranda da pós-graduação em Física da IMEF, viajou para o México realizar um intercambio de um semestre (Agosto-Dezembro 2017) no Instituto de Geofísica da Universidad Nacional Autónoma de México, IG-UNAM. A viagem foi realizada através de uma parceria entre o Professor Cristian Giovanny Bernal da IMEF-FURG e o Dr. Primoz Kajdic da IG-UNAM, os quais foram Orientador e Co-orientador de Laura respectivamente. A aluna usou seus conhecimentos em um projeto de pesquisa que faz parte da ESA (Agência Espacial Européia) para investigar a interação do vento solar sobre a atmosfera marciana. Para isso, aprendeu sobre o analise de dados de observatórios espaciais como MAVEN e Mars Express usando ferramentas numéricas sofisticadas. Alem disso, a aluna cursou a disciplina: "A Física do Meio Interplanetário", que foi fundamental para expandir seu conhecimento e aplicá-lo no seu trabalho de tese. Laura Neves do Amaral aproveitou ao máximo a oportunidade, inclusive para melhorar seu conhecimento da língua espanhola e inglesa e para fazer parcerias que acrescentaram sua formação profissional. Atualmente, Laura está fazendo seu doutorado no Instituto de Ciências Nucleares da UNAM na área de exoplanetas, sob a supervisão da Dra. Antigona Segura e co-orientada pelo Dr. Rory Barnes, do Departamento de Astronomia da Universidade de Washington. Desejamos o melhor para você, Laura... parabéns por essa nova etapa.

AUGUSTO CÉSAR CALÍGULA - O segundo estudante em visitar a UNAM foi o aluno Augusto César Calígula, nesse momento Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Física (PPG-Física) do Instituto de Matemática, Estatística e Física (IMEF). Ele viajou para o México para realizar um estágio de pesquisa de um semestre (fevereiro a julho de 2018) no Instituto de Astronomia da Universidade Nacional Autônoma do México (IA-UNAM). Como antes, a viagem é realizada através de uma parceria entre o professor Cristian Giovanny Bernal do IMEF-FURG e o Dr. Nissim Ilich Fraija do IA-UNAM, os quais são Orientador e Co-orientador do Augusto César, respectivamente. O estudante trabalhou em um projeto de pesquisa que faz parte do experimento High-Altitude Water Cherenkov (HAWC), para pesquisar sobre os efeitos do campo magnético na ejecta dos jatos relativísticos em GRBs. Para isso, aprendeu sobre o análise de dados do observatório HAWC e simulação numérica tipo Monte Carlo. Este aprendizado foi fundamental para ganhar experiência e aplicá-la no seu trabalho de dissertação. Ele também aproveitou ao máximo a oportunidade para fazer parcerias que acrescentaram sua formação profissional. Atualmente, Calígula está fazendo seu doutorado no Instituto de Astronomia da UNAM, orientado pelo Dr. Nissim Fraija no área dos Gamma-Ray Bursts curtos. Boa sorte neste novo começo!

FELIPE VENTURA VARGAS - O estudante Felipe Ventura Vargas é o terceiro estudante da Astrofurg em visitar a UNAM, através de una nova parceria cientifica (março a julho de 2019). O aluno atualmente está terminando su mestrado no Programa de Pós-Graduação em Física (PPG-Física) do Instituto de Matemática, Estatística e Física (IMEF). Ele é orientado pelo Dr. Cristian Giovanny Bernal e está sendo co-orientado pelo Dr. Fabio de Colle do Instituto de Ciências Nucleares, ICN-UNAM. O aluno está trabalhando em um projeto de interesse fundamental na área de supernovas. Ele está aproveitando a oportunidade para escrever um código numérico de transporte radiativo para junta-lo com o código numérico MEZCAL, que realiza simulações hidrodinâmicas de eventos explosivos, como supernovas e GRBs, e assim ser capaz de resolver um enigma fabuloso: o caso da supernova que passa de um tipo de classificação para outro. Estamos muito animados para ver os resultados finais deste trabalho. Atualmente, o aluno está preparando sua dissertação de mestrado para se formar o mais rápido possível e iniciar seu doutorado no ICN-UNAM, sob a supervisão do Dr. Fabio de Colle. Vamos com tudo Felipe!

Mestrandos da Astrofurg se formando no IMEF-FURG. Uma nova esperança surge agora nas suas vidas. Que a força esteja com vocês!!