Posts Astronômicos

Sobre a sonda solar Parker

  • Laura Neves do Amaral - Setembro 2018

    O Sol possui 3 camadas que podemos observar: A fotosfera, a cromosfera e a corona (a "atmosfera" do Sol). Conforme nos afastamos do núcleo solar, menor é a densidade do meio, e mais baixa sua temperatura. Uma vez que a corona solar é a parte mais externa, seria esperado que sua temperatura fosse mais baixa, mas o que se observa é uma diferença de 100x a mais que a temperatura das outras camadas. Da corona solar também flui o chamado vento solar, composto por elétrons e prótons de energia na ordem de keV, que fluem até os limites da heliosfera, cujo mecanismo de aceleração é ainda desconhecido.

    As possíveis razões do aquecimento da corona são as ondas de Álfven (ondas magnéticas) que impulsionariam as partículas e aqueceriam a região, a ocorrência de "nanoflares" na região, gerando calor, ou ambos em conjunto. Com os objetivos principais de averiguar tanto o aquecimento anormal da corona, quanto a origem do vento solar, no dia 12 de agosto de 2018, a NASA lançou a Parker Solar Probe. A missão leva o nome do astrofísico que previu a existência do vento solar, o ainda vivo, Eugene Parker, e vai orbitar o Sol a uma distância de 6,2 milhões de quilômetros da fotosfera (camada mais interna vísivel), ou seja, dentro da corona solar.

    Uma vez compreendendo a formação do vento solar, através dos dados da sonda, entenderemos mais profundamente como este afeta não só a atmosfera da Terra, mas a de todos os planetas do sistema solar, incluindo Marte, planeta no qual eu estudo a influência do vento solar no seu sistema magnético.

    Mais informações aqui

    MAVEN em Marte

  • Laura Neves do Amaral - Agosto 2018

    A espaçonave da NASA - MAVEN - está em órbita ao redor de Marte para estudar sua atmosfera. MAVEN foi lançada para Marte em 18 de novembro de 2013 da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral na Flórida e entrou com sucesso na órbita de Marte em 21 de setembro de 2014. "O sucesso da missão até agora é um resultado direto do incrível e dificil trabalho de todos que estão envolvidos no projeto MAVEN. Esses anos em Marte refletem os tremendos esforços dos últimos 12 anos", disse Bruce Jakosky, principal pesquisador do Laboratório de Física Atmosférica e Espacial da Universidade do Colorado, em Boulder.

    Mais informações em: Nasa MAVEN