Posts Astronômicos

GRBs e as Ondas Gravitacionais

  • Augusto César Caligula - Agosto 2018

    17 de Agosto de 2017 foi um dia memorável para a comunidade científica. Às 12:41:06, no fuso horário UTC, o telescópio GBM-Fermi detectou os primeiros sinais da Erupção de Raios Gama GRB170817A, meros 2 segundos após a detecção de uma onda gravitacional pelos observatórios LIGO e Virgo, o GW170817. Não se precisou de muito para fazer a conexão. Enquanto muito sobre o estudo de ambos os eventos ainda se mantém no mundo das proposições, devido a dificuldade de observar todos as épocas envolvidas em tais circunstâncias, há muitos anos já se estabeleceu a possibilidade de que a fusão de um sistema binário de estrelas de nêutrons seria um dos possíveis candidatos a progenitor. Similarmente, tais assumpções foram feitas sobre a coalescência de um sistema NS-NS e a emissão de ondas gravitacionais. Assim, com os dois eventos em mãos, ficou fácil de pressupor que todos os ingredientes eram parte do mesmo prato e que análise do evento GW170817/GRB170817A era de alta importância.

    Muitos estudos foram feitos sobre o par de eventos neste ultimo ano. Modelos eram necessários para se explicar a física envolvida, enquanto resultados deveriam ser consistentes com os dados observados e as presunções teóricas relevantes. Ainda em 2017, Prof. Dr. Nissim Fraija, Prof Dr. Fábio de Colle, Prof. Dr. Simone Dichiara, Mc. Antônio Galvan-Gaméz - Universidad Nacional Autônoma do México – juntamente com Prof. Dr. Peter Veres – University of Alamaba – Prof. Dr. Rodolfo Barniol Duran – Californa State University – e este autor, vêm trabalhando em um modelo apto para descrever o evento GW170817/GRB170817A. Nós propomos que os fluxos de Raios X, Luz Óptica e Rádio observados são consistentes com um modelo de sincrotron visto off-axis enquanto o fluxo de Raios Gama é favorável a um modelo de choque reverso onde a emissão é realizada através de SSC (sincrotron e Compton reverso) observada em altas latitudes. Nós esperamos que este trabalho ajude a interpretar resultados obtidos não só desta, mas também de futuras observações de eventos similares. Além disso, trabalhos complementares sobre a aplicabilidade do modelo para diferentes GRBs (e possível identificação retroativa de eventos ligados a ondas gravitacionais) estão sendo realizados no momentos desta publicação.

    O trabalho referido através deste texto está, atualmente, sob processo de análise após submissão para a revista The Astrophysical Journal. Para visualização de futuras atualizações, revisões, ou simplesmente se deseja matar a curiosidade siga o link abaixo para o arXiv onde poderá acompanhar a versão mais recente.

    Mais informações em: arxiv